domingo, 26 de maio de 2013

Confira Complexo de vira-lata

facebook

Confira Complexo de vira-lata


Você compartilhou o seu email com Complexo de vira-lata que sigeriu a você curtir sua página no Facebook

Cadastre-se no Facebook se você deseja curtir Complexo de vira-lata e conectar-se a outros amigos. Ou, você pode simplesmente visualizar a página.
Complexo de vira-lata
Reflexões, perguntas, indignações. Aqui não há respostas. Aqui não há solução. Aqui só há problemas. E inconformismo.
17 likes · 0 talking about this

Sign Up for Facebook
View Page
This is Spam
Essa mensagem foi enviada para dn_rodrigues1.fuchiking-shit@blogger.com. Se você não deseja receber esses e-mails do Facebook no futuro, Cancele a inscrição.
Facebook, Inc., Attention: Department 415, PO Box 10005, Palo Alto, CA 94303

quinta-feira, 16 de maio de 2013

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

I can't take it any longer. I just can't.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Face it.

Nada de novo sai de terreno infértil. Nada.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Does it fucking work?

What the fuck is there to say? Else.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Tudo que vale a pena ser escrito, já foi escrito (e o foi até a década de 70 do século XIX). O resto é balela. Balbucios de bebês choramingões. Surtos psicóticos de indivíduos ociosos.

Como sei disso?

Eu li.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Imagine-se. Agora imagine uma formiga (ou bactéria, ou ameda, verme, o que lhe vier). Sabe a razão de estarem aqui (você e isso que imaginou)?  Nenhuma. Absolutamente nenhuma. Não entendeu?

Gostaria de dizer que sinto muito, mas não sinto.
E de repente ele se deu conta.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

[OFF TOPIC]

Se vc estiver se perguntando sobre a razão da mudança do fundo, é simples (qualquer símio teria notado isso sem que eu precisasse explicar, mas vamos lá): preto é definitivo, cinza é cinza, e tudo é cinza.

Considerações acerca da validade da poesia, e sua importância hoje e sempre.

...

p.s.: Pensei em deixar só as reticências, mas tenho tantas dúvidas quanto à capacidade interpretativa de indivíduos humanos que resolvi colocar esta nota explicativa para dizer que simplesmente não há nada a dizer a esse respeito, nem nunca houve ou haverá, e que tudo que já se disse não passa de discurso vazio criado para explicar e validar a si mesmo, e aos que se lançam nesta empreitada sem sentido, sejam eles produtores assíduos ou frustrados (os chamados críticos, intelectuais leitores consumidores, coisa e tal). Entenderam parvos? Ou será que preciso ser mais explícito?

domingo, 17 de janeiro de 2010

Thou art a knave fool, ye bastard!

Pergunto-me o quanto vale à pena gastar pontuações e dedos.

Parêntese

Abro uma exceção para postar aqui algo do interesse geral de nenhum de vós (sim, parvos, sei que não dão a mínima).

Como começar um romance-diálogo-ou-o-que-quer-que-seja da maneira mais genial jamais concebida por um ente de nossa desprezível espécie:

Comment s'étaient-ils rencontrés? Par hasard, comme tout le monde. Comment s'appelaient-ils? Que vous importe? D'où venaient-ils? Du lieu le plus prochain. Où allaient-ils? Est-ce que l'on sait où l'on va? Que disaient-ils? Le maître ne disait rien; et Jacques disait que son capitaine disait que tout ce qui nous arrive de bien et de mal ici-bas était écrit là-haut.

Para os (mal) informados, trata-se de Jacques, le fataliste et son maître, de Diderot

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

- What do you call, Sir?

- The name is Gray. Dorian Gray.

And the answer startled the gentleman.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Mínima

As pessoas dizem a verdade quando acreditam no que dizem.

não escondo nada... sou um livro aberto escrito numa língua morta

não escondo nada... sou um livro aberto escrito numa língua morta

não escondo nada... sou um livro aberto escrito numa língua morta

não escondo nada... sou um livro aberto escrito numa língua morta